Hoje é Zeca-feira?

“Zeca-feira é uma homenagem ao consumidor de Brahma, que precisa quebrar a rotina para recarregar as baterias e continuar seguindo em frente”.

Foi assim que o gerente de marketing da marca, Bruno Consentino, definiu a Zeca-feira.

A intenção é clara: a Brahma está tenta criar um novo hábito de consumo – um happy-hour no meio da semana. E para isso usa as relações mais acertadas: o merecido relaxamento após meia semana de trabalho duro e a sua relação com os jogos de futebol transmitidos às quartas.

A idéia estratégica da campanha foi excelente. Implementar na publicidade algo que transcenda os 30´´ e que tente modificar o comportamento social das pessoas é sempre louvável. Tentar ocupar um maior espaço emocional (e não somente prático) na vida das pessoas é o que a maioria das marcas está procurando atualmente.

Até aí, tudo bem. Então, qual é o problema? O problema é que a execução deixou muito a desejar com relação à idéia. Para seguir a linha de campanhas anteriores protagonizadas por Zeca Pagodinho, os criativos da África fizeram a associação mais óbvia: trocar “quarta” por “Zeca” e chegaram à tentativa tosca de neologismo – a Zeca-feira.

zeca-feira1.jpg

OK. Pouco importa se o nome é bonito. O que realmente importa é como isso afeta a vida das pessoas. Me parece óbvio que esta expressão não vai pegar, não vai cair na boca do povo. Simplesmente, porque ninguém está disposto a dizer “vamos tomar uma cerveja, hoje é Zeca-Feira”. Ninguém quer pagar um pau pro Zeca Pagodinho toda vez que quiser tomar uma cervejinha no meio da semana. Nem eu mesmo, que adoro seus sambas, falaria isso.

A Brahma perdeu uma ótima chance ao utilizar (com idolatria) o nome de um cara que nem tem tanta identificação com o público. Me parece que poderiam ter seguido a mesma idéia, assumindo para a campanha outros atributos que o Zeca e o samba representam: a malandragem, o jeitinho brasileiro ou algo de engraçado do comportamento nos bares. Isso daria um caráter mais interessante para a campanha porque cada pessoa, ou grupo, teria um motivo, uma piada específica ou uma expressão diferente que os estimulasse a beber na quarta-feira.

É fácil lembrar de uma campanha que fez sucesso no meio social e que passou a fazer parte da vida das pessoas. A própria Brahma, com a campanha º 1. A marca “se apropriou” do típico gesto de repetido em bares de levantar o indicador para chamar o garçom. Os clientes também podiam usar mãos gigantes com a marca da Brahma para chamar o garçom nos bares. Todos se lembram do sucesso da nº 1. Esta campanha não chegou a mudar o hábito das pessoas, apenas fez uma simples associação da marca com o gesto.

Diego Senise

3 Responses to “Hoje é Zeca-feira?”


  1. 1 marcelo lavor julho 31, 2007 às 12:26 pm

    Acredito que a campanha Zeca Feira faz parte da ressaca criativa vivida pela propaganda brasileira neste segmento. O apelo Zeca Feira é uma tentativa de forçar a barra, criando (ou justificando) novos hábitos e usando para isso a personalidade de um alcoólatra. Usar um doente (viciado) como gancho para vender um produto que vicia é demais. Por essas e outras é que o governo federal se acha no direito de meter o bedelho no mercado, tentando legislar sobre o que pode ou não na comunicação publicitária. Entretanto, a ressaca vai mais longe. A Skol tenta tirar até a última gota do genial tema “desce redondo”. Na minha opinião, ou se faz outra leitura deste tema, ou ele vai morrendo a cada campanha. A Sol tem como diferencial mostrar bundas, agora vestidas, para não ferir a lei. Mas bundas snao bundas, vestidas ou não. Além do que partir para a briga com a Brahma só reforça a Brahma, a Nova Schin que o diga. Enquanto isso, a gostosa da Juliana continua na Boa. Não mudou nada e continua vendendo horrores. Enfim, a ressaca tá grande. E não vai ser começando a beber na Zeca Feira que vamos resolver alguma coisa. É isso, depois tem mais.

  2. 2 Ivan Auflich setembro 28, 2007 às 4:11 am

    É um absurdo a campanha Zeca Feira. Tanto se fala dos
    males causados pelo alcool para a saude das pessoas, ao volante, etc. vizando o público jovem. E como não bastasse, essa campanha tem a pretenção de intitucionalizar a bebedeira em um dia no meio da semana, protagonizada pelo tremendo cachaceiro e alcoolatra, Zeca Pagodinho.Portanto o post acima é perfeitamente pertinente.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: